Entrelinhas é uma performance em dupla onde artista se encontra sentado à outra performer (performado por Mayara Biagiotti), trajando vestes brancas e simples até que iniciam um ato de conexão um com o outro, representado através de dois novelos de lã e agulhas de costura, que os performers vão bordando suas roupas. Começando por suas próprias vestes, passam a agulha por entre o tecido até a roupa do outro, e assim sucessivamente.  O trabalho foi realizado em São Paulo na Semana Cultural da universidade FMU, em 2016, e também se desdobrou em linguagens audiovisuais.

 

A ação consiste em criar um acúmulo de linhas entre os dois corpos, que logo após é cortado com uma tesoura por um dos performers. Visando representar um relacionamento interpessoal, onde duas pessoas acabam se interligando cada vez mais, criando conexões como num relacionamento, que em momentos de sufoco, a costura é apertada para que os corpos se aproximem. Até que as ligações se mostram tão aglomeradas e confusas, que as relações são cortadas, como a tesoura que corta uma linha, a fim de demonstrar o término de um relacionamento, onde um sempre sai mais afetado do que o outro.

 Between the Lines is a performance double where the artist is sitting in front other performer, preforms by Mayara Biagiotti, dressed in white and simple garments to initiating an act of connection with one another, represented by two balls of wool and needles sewing, the performers will embroidering their clothes. Starting with his own clothes, they pass the needle through the fabric to the clothing of the other, and so on. The work was carried out in São Paulo Cultural Week FMU University in 2016, and also deployed in audiovisual languages.

 

The action is to create an accumulation of lines between the two bodies, which soon after it is cut with scissors by one of the performers. In order to represent an interpersonal relationship, where two end interconnecting increasingly creating connections such a relationship that in moments of breathlessness, the seam is tightened so that the bodies approach. Until the links are shown as crowded and confusing, that relations are cut like scissors cutting a line in order to show the end of a relationship, where one always comes out more affected than the other. 

Entrelinhas, 2016 Between the Lines     /    roupas brancas, linhas vermelhas, agulhas de costura e tesoura

\

Entre Nós é a sequência da performance “Entrelinhas”, e esta faz a alusão a um recorte dos desentendimentos que ocorrem dentro de um relacionamento. 

 

A performance foi realizada em setembro de 2016 na vernissage da 6ª edição do L.O.T.E. no Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo. Com concepção de Thiago Sguoti e performado ao lado de Mayara Biagiotti. 

 

Durante 40 minutos, performers entrelaçam linhas sangrentas por móveis de madeira, posicionados de maneira tal a simbolizar um cômodo, onde os corpos transitam no espaço enquanto suas roupas se sujam e os objetos despencam vagarosamente e se prendem a teia formada pelas linhas vermelhas. 

A mobília também possui um forte valor afetivo e uma carga emocional intensa, pois os mesmos pertenciam a gerações passadas da família do artista, que também passavam por conturbações durante o relacionamento. 

Between Us is the result of the performance "Leading" and this is the allusion to a cut of misunderstandings that occur within a relationship.

The performance was held in September 2016 at the vernissage of the 6th edition of L.O.T.E. at the Arts Institute of Unesp, in São Paulo. With the conception by Thiago Sguoti and performed alongside of Mayara Biagiotti.

For 40 minutes the artists intertwine bloody lines for wooden furniture, positioned in such a way to symbolize a room where the performers pass in space while your clothes get dirty and plummet objects slowly and hold the web formed by the red lines.

The furniture also has a strong emotional value and an intense emotional charge, as they belonged to past generations of the artist's family, who also went by unrest during the relationship.

Entre Nós, 2016 Between the Lines     /    roupas brancas, linhas vermelhas, sangue artificial, mesa, cadeiras e cabideiros de madeira

\

“Desamar.rar” é a performance desfecho da série Entrelinhas. A terceira e última ação do ciclo visa mostrar um indivíduo em seu momento de crise..

A performance foi realizada em Outubro de 2016 no Rio de Janeiro, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, na coletiva “Qual é o seu Link?”, com curadoria de Lúcia Avancini e Marilou Winograd.

Na ação, trajando roupas brancas, artista se posiciona ao lado de um balde com um rolo de barbante vermelho mergulhado em sangue, quando começa a passar o barbante por seu corpo, enrolando a linha por suas pernas até o tronco como um processo de mumificação, até que o branco de suas vestes se reduz cada vez mais envolvido pelo vermelho contrastante. Em algum momento da performance, o artista se livra destas amarras, arrebentando e cortando-as com uma tesoura, se despindo de suas roupas, rasgando-as como forma de simbolizar uma troca de pele, um processo de cicatrização.

O nome “Desamar.rar” brinca com as possíveis leituras do título como desamarrar ou desamar. A última sílaba “rar” separada por um ponto (.) transforma a palavra como se fosse um formato de um arquivo de internet compactado. Onde para se ter acesso ao conteúdo do arquivo, é necessário descompactá-lo.

"Desamar.rar" is the outcome of performance Entrelinhas series. The third and final action cycle aims to show an individual at the time of crisis, which is means such as self-flagellation to relieve and replace the emotional pain felt at that moment.

The performance was held in October 2016 in Rio de Janeiro, at the Calouste Gulbenkian Arts Center in the collective "What is your link?" (Qual é o seu link?), curated by Lucia Avancini and Marilou Winograd.

In the suit, wearing white clothes, the artist stands next to a bucket with a roll of red string dipped in blood, when it begins to pass the string through his body, wrapping the line for his legs to the trunk as a process of mummification until the white of his robes reduces increasingly surrounded by contrasting red. At some point in performance, the artist is free of these shackles, ripping and cutting them with scissors, stripping her clothes, tearing them as a way to symbolize an exchange of skin, a healing process.

The name "Desamar.rar" in portuguese, plays with the possible title reads as "untie" or "unloved". The last syllable "rar" separated by a period (.) makes the word as if it were one of a compressed Internet file format. Where to have access to the file content, you must unzip it.

DESAMAR.rar, 2016      /     roupas brancas, linhas vermelhas, sangue artificial.