fardos de uma bagagem emocional 
Burdens of an emotional baggage
 
Performance | 2015
Fardos de uma Bagagem Emocional é uma performance que consiste em uma ação contínua com duração de uma hora, que questiona o pesar de nossos pensamentos, lembranças, sentimentos e emoções com os de nossas necessidades básicas de consumo. O carrinho de supermercado nos remete à compras de suprimentos que fazemos para atender nossas necessidades materiais, enquanto a mala, envelhecida e obsoleta, simboliza nossas memórias afetivas. Na ação, o espectador se depara com o óbvio de que o carrinho exerce um peso muito maior do que a mala sobre o corpo do performer, mas o trabalho busca questionar qual realmente é o grande fardo de nossas vidas. 
 
A performance mostra o artista nu dentro de um carrinho de supermercado ao contrário, preso à uma maleta antiga, se arrastando cansativamente de um extremo até outro, com uma distância considerável que faça levar o artista ao cansaço e à exaustão. 
 
O carrinho posto de maneira não convencional enjaula o artista simbolizando o quão presos ficamos à um sistema que nos cega de outras prioridades, como nossa própria saúde mental.

 

 

Burdens of an emotional baggage is a performance consisting of a continuous action lasting one hour, which questions the burden of our thoughts, memories, feelings and emotions with the burden of our basic needs. 
The shopping cart represents the purchases of supplies that we do to meet our material needs, while the travel handbag, old, aged and obsolete, symbolizes our affective memory. In the lawsuit, the Viewer is faced with the obvious that the shopping cart has a much greater weight than the handbag on the body of the performer, but the work searches what really is the great burden of our lives. 

The performance shows the naked artist inside a shopping cart upside down, attached to an old handbag, dragging tiresome from one extreme to another, with a considerable distance to do lead the artist to the tiredness and exhaustion. 

 

The shopping cart used by that unconventional way, cages the artist symbolizing how stuck we get to a system that blinds us to other priorities such as our own mental health.

© 2020 by Thiago Sguoti