DESAMAR.RAR

Performance | 2016

“Desamar.rar” é a performance desfecho da série Entrelinhas. A terceira e última ação do ciclo visa mostrar um indivíduo em seu momento de crise, onde encontra meios como a autoflagelação para aliviar e substituir a dor emocional sentida naquele momento.

A performance foi realizada em Outubro de 2016 no Rio de Janeiro, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, na coletiva “Qual é o seu Link?”, com curadoria de Lúcia Avancini e Marilou Winograd.

Na ação, trajando roupas brancas, o artista se posiciona ao lado de um balde com um rolo de barbante vermelho mergulhado em sangue, quando começa a passar o barbante por seu corpo, enrolando a linha por suas pernas até o tronco como um processo de mumificação, até que o branco de suas vestes se reduz cada vez mais envolvido pelo vermelho contrastante. Em algum momento da performance, o artista se livra destas amarras, arrebentando e cortando-as com uma tesoura, se despindo de suas roupas, rasgando-as como forma de simbolizar uma troca de pele, um processo de cicatrização.

O nome “Desamar.rar” brinca com as possíveis leituras do título como desamarrar ou desamar. A última sílaba “rar” separada por um ponto (.) transforma a palavra como se fosse um formato de um arquivo de internet compactado. Onde para se ter acesso ao conteúdo do arquivo, é necessário descompactá-lo, assim como um paciente com depressão precisa em primeiro lugar amar-se para se desamarrar de todas as angústias que o prendem, e o fazem querer se castigar sem razões plausíveis.

[Registro: Jorge Calfo e Paulo Jorge Gonçalves]

"Desamar.rar" is the outcome of performance Entrelinhas series. The third and final action cycle aims to show an individual at the time of crisis, which is means such as self-flagellation to relieve and replace the emotional pain felt at that moment.

The performance was held in October 2016 in Rio de Janeiro, at the Calouste Gulbenkian Arts Center in the collective "What is your link?" (Qual é o seu link?), curated by Lucia Avancini and Marilou Winograd.

In the suit, wearing white clothes, the artist stands next to a bucket with a roll of red string dipped in blood, when it begins to pass the string through his body, wrapping the line for his legs to the trunk as a process of mummification until the white of his robes reduces increasingly surrounded by contrasting red. At some point in performance, the artist is free of these shackles, ripping and cutting them with scissors, stripping her clothes, tearing them as a way to symbolize an exchange of skin, a healing process.

The name "Desamar.rar" in portuguese, plays with the possible title reads as "untie" or "unloved". The last syllable "rar" separated by a period (.) makes the word as if it were one of a compressed Internet file format. Where to have access to the file content, you must unzip it, as well as a patient with depression must first love yourself to untie all the anxieties that hold and do want to punish without plausible reasons.

© 2020 by Thiago Sguoti